Esqueceu sua senha? Clique aqui.

Carrinho [0]


Depoimentos

  • Estou encantada com o convite da ESA/PE para atualizar os advogados do interior de Pernambuco a respeito da reforma do CPC. A direção está de parabéns por investir constantemente na capacitação contínua da nossa classe.

    Profa. Fernanda Resende (Recife/PE)

+ ver todos

Notícias

Em 14/08/2017 às 16:01

Seminário debate tecnologia e o futuro da advocacia

Inteligência artificial, avanços tecnológicos e as futuras mudanças na advocacia foram alguns dos tópicos trabalhados no Simpósio Direito e Inovação, realizado na última sexta (11), no teatro da Livraria Cultura do Shopping RioMar. O evento aconteceu no Dia do Advogado e data em que se comemora a fundação dos cursos jurídicos, contou com sete palestras de profissionais renomados da área e, ainda, com o lançamento da plataforma de comunicação OAB Mais. O encontro foi promovido pela Escola Superior de Advocacia de Pernambuco (ESA-PE), da OAB-PE, e pelas comissões de Tecnologia e Informação (CDTI), Novos Advogados (CEANA) e Relacionamento Acadêmico (CRA), todas da OAB-PE.

“Temos que olhar pro futuro que já nos cerca, de tecnologia, inovação e obrigação de empreender. Há a necessidade de perceber que a advocacia está mudando e que as tecnologias estão aqui para ajudar a construir uma nova forma de atuação. Cada dia mais se exige uma nova dinâmica à nossa categoria. Por isso, a ESA sempre busca unir a renovação no trabalho do advogado e no ensino, para que ele possa se manter atualizado e capacitado”, afirma o diretor geral da ESA-PE, Carlos Neves. Sobre o encontro, ele comemora: “Foi um momento histórico. O sucesso foi tanto que já estamos organizando o segundo simpósio para dezembro”.

Uma das palestras mais esperadas do dia foi a do arquiteto de soluções da IBM Márcio Saeger, que apresentou o Watson - solução cognitiva da IBM. Ele explicou o que significa a ferramenta e deu alguns exemplos de utilização. “A solução cognitiva, mais conhecidas como inteligência artificial, está transformando as indústrias. Watson é um conjunto de algoritmos capazes de pegar dados não estruturados e extrair insights. Uma grande diferença dele é a interação com o ser humano”, disse. Atualmente o serviço está sendo utilizado na Operação Lava Jato pela Policia Federal e Ministério Público. No Direito, pode ser usado na automação de processos, busca por jurisprudências, identificação e análise de processos duplicados, chances de deferimento baseado em histórico, dentre outros.

Outro grande conhecedor de tecnologia é o empreendedor e fundador do Porto Digital, Silvio Meira, que falou sobre os desafios profissionais na Era Digital. “Novas tecnologias causam transições que são verdadeiras revoluções. De 1960 pra cá, os trabalhos que aumentaram nos EUA foram os que chamamos de analíticos e fora da rotina. Os que forem rotineiros, mesmo que dependam de conhecimentos cognitivos, nós programamos”, disse. “Segundo estudos do Fórum Econômico Mundial e da Universidade de Oxford, existe uma chance muito razoável de 50% de todo o trabalho que vai ser feito no mundo seja automatizado até 2040”, destacou. Para ele, se atualizar é algo imprescindível: “O futuro não é um esporte de expectador, o futuro é um esporte só pra quem participa. Todo o resto vai ficar pra trás e reclamar”.

O fundador do CERS Cursos Online e empreendedor Endeavor, Renato Saraiva, trouxe alguns questionamentos sobre como os advogados podem se adaptar às inovações. “O mundo evoluiu e, com ele, também a maneira de se viver e ganhar dinheiro. Quanto mais atrasada a nossa visão, mais caro pagaremos por isso”, disse. “Hoje, o profissional, principalmente o jovem advogado, precisa seguir algumas dicas: definir o nicho (ter foco), explorar o mundo digital (explore as mídias sociais) e gerar conteúdo do valor. Ter site, blog, canal no Youtube, perfil no Facebook e ou Instagram é a maneira mais fácil de se relacionar com as pessoas e formar um network. Quem não é visto não vai ser conhecido”, ressaltou.

O auditor do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco, Marcos Nóbrega, iniciou sua palestra citando a frase “O futuro não é mais como era antigamente”, do escritor Aldous Huxley, para aludir à rapidez com que a tecnologia está avançando e como interfere na vida das pessoas. Ele debateu acerca das perspectivas do ensino jurídico e o que pode acontecer com os escritórios e a profissão nos próximos anos.

O evento também contou com palestras do coordenador científico do Instituto Luiz Mário Moutinho, o juiz Luiz Mário Moutinho, que abordou “Tecnologia e Interpretação”; o advogado e presidente da Comissão de Tecnologia da Informação do Conselho Federal da OAB-PE, Frederico Preuss Duarte, que trouxe o “Processo judicial eletrônico: caminhos e desafios do futuro”; e a psicóloga e coach Benéria Yace Donato discorrerá sobre a “Inteligência emocional na advocacia: a inovação começa dentro de você”.

voltar